domingo, 17 de abril de 2016

Desabafo - Transição Capilar e Família






Essa semana li uma reportagem em um dos meus blogs favoritos sobre cachos, falando sobre a influência da família na transição capilar. Boa parte das pessoas que estão passando por esse processo de transição são menores de idade, e precisam do apoio dos pais. O que acontece é que na maioria dos casos, os pais estão convivendo há tanto tempo com a falsa ideia de “cabelo ruim”, que assumir o cabelo cacheado parece desleixo ou falta de vaidade. Muitas garotas preferem viver um conflito interno de personalidade do que enfrentar um conflito familiar.
Quando eu resolvi passar pela transição capilar, estava certa de que enfrentaria muito mais preconceitos dentro de casa do que na rua. Afinal, a maioria das pessoas com quem eu convivo sabem do quanto o meu cabelo cacheado me representa. Mas dentro de casa não era bem assim. Afinal, os pais são sempre responsáveis pela formação de ideias nos filhos. E se, a minha mãe, depois de tantos preconceitos sofridos acabou por achar que cabelos de negro são “ruins”, e o meu pai por ser branco, filho de pais extremamente preconceituosos, é também cheio de preconceitos, quem me ensinou a gostar de ser negra? Se na escola, nas campanhas sobre consciência negra, os palestrantes alisavam os cabelos, quem me ensinou que o meu cabelo cacheado pode ser bonito? Ninguém.
Quando eu resolvi assumir o meu cabelo, não tinha percebido essa onda de transição capilar que já dominava a internet. Acontece que eu estava cheia de tentar me adaptar em um mundo onde eu não pertencia. As tentativas de me adaptar a sociedade já estava me sufocando. Então eu resolvi tentar ser eu mesma. E comecei pelo meu cabelo. No início, ficou exatamente como imaginei que ele ficaria. Sem surpresas. Poucos dias depois, assisti uma matéria num programa de televisão com uma blogueira que falava de cabelos cacheados. A Rayza Nicácio. Até então eu não sabia que isso existia. Entrei no canal e comecei a aprender um pouco mais sobre o meu cabelo, procurei outras pessoas com cachos diferentes, e fui testando produtos, até que aprendi a cuidar do meu cabelo, e o resultado foi fantástico. Não imaginei que o meu cabelo ficaria tão cacheado. E não era só isso, depois de ver tantas blogueiras cacheadas eu acabei aprendendo a me amar do jeito que eu sou. Hoje, mesmo nos dias mais complicados do meu cabelo, eu olho no espelho e me sinto linda. E é essa a imagem que você tem que passar pros seus familiares. A de alguém que se ama, que se encontrou. Só depois de ver o quanto essa mudança significa para você, eles vão aprender a te aceitar também. No final das contas, a tua família te ama, e mostrar que você é mais feliz quando se aceita é a única forma de convencer a te aceitar também.

Eu sempre achei que os meus cabelos lisos, me passavam uma imagem de garota forte, séria, e que merecia credibilidade. Hoje eu sei que forte é quem assume suas fragilidades, sério é quem age com seriedade, e só merece credibilidade quem realmente é confiável. Assumir quem eu sou me fez lutar por ter todas essas características, e realmente é mais difícil do que simplesmente parecer tê-las. Mas é recompensador saber que eu mereço cada elogio, tanto pelo meu cabelo, quanto pela personalidade que ele me ajudou a conquistar.